quinta-feira, 22 de abril de 2010


mais do que o descanso da caminhada
apetece pousar
num recanto qualquer dum bairro antigo

quinta-feira, 15 de abril de 2010


às vezes queria voar

sonho de asas abertas com as ruas lá em baixo

mas acordo;

tenho pânico das alturas

sábado, 10 de abril de 2010


às vezes o céu é cortado em pedaços
mas sempre
por mais que se tente
ele fica inteiro

destruindo… reconstruindo… reinventando…

assim é a cidade

assim

somos nós

Um dia... o início...

Inicialmente era para ter chamado a este blog “One Shot In The City” porque não encontrava em português uma frase com esta sonoridade e com uma ideia tão certeira para o que pretendia. Mas depois, pensando bem, achei que ficava mal num espaço onde Lisboa era o centro dos meus “disparos” e o foco do meu olhar ter um título em inglês.
Não sou fotógrafo nem pretendo sê-lo, a razão porque a palavra “shot” seria tão importante! Um dia apaixonei-me por Lisboa, vivo Lisboa, percorro-a como se com os dedos fosse, e o meu olhar normalmente vai para as pequenas coisas, os pormenores, os seus contornos… a sua vida mais discreta. Por isso, espero que me ajudem a manter este diário vivo porque já iniciei uns quantos que foram secando, umas vezes lentamente, outras de uma forma abrupta, como as cearas do meu Alentejo.