domingo, 22 de maio de 2011

Tempo de luta pelo poder...


Lá fora os homens digladiam-se verbalmente pelo poder. Usam incontáveis e misteriosas técnicas de propaganda para nos convencerem que, mais do que terem a solução, eles são a solução. Não me convencem; há muito que deixei de acreditar, aliás, acredito na mistura de todas as cores , algo improvável porque as ideologias políticas, se é que ainda existem, são como o azeite e o vinagre, complementam-se, enriquecem-se, mas nunca se fundem. E depois, o inferno está cheio de boas intenções, no entanto, as suas boas intenções parecem-me individualistas, à volta da sua própria ascensão, e só… As massas são algo amorfo, sem rosto, que é imprescindível usar porque são as massas a grande desculpa para o que chamam democracia, o tal mal o menos.

É… também voto, muitas vezes em branco, só porque preciso afirmar a minha presença, mas raramente contribuo para colocar alguém no poder. Já vi muito e é-me visceralmente agoniante o conhecimento de certos exercícios que nada têm a ver com o sentido pátrio ou social… Sei que se todos fossem como eu seria o caos, mas nada posso fazer; sou assim e não posso ir contra a minha natureza, de contrário não me respeitaria.

Sem comentários:

Enviar um comentário