sábado, 12 de maio de 2012

Branco de pureza.


Pergunto-me quanto branco ainda conservamos na alma manchada pelo negro da dor e do medo, e com o encarnado da raiva e da revolta… Quanta pureza ainda podemos guardar e oferecer a quem amamos?

Sem comentários:

Enviar um comentário