sábado, 12 de maio de 2012

O Photoshop e a esperança inventada.


O centro da cidade e do país encontra-se no coração do Rossio, o piso que representa todas as ondas do mar e das nossas angústias, esse chão, aqui, delimitado pelos altos muros assustadores dos cofres bancários que representam o poder obscuro que nos asfixia como povo. Do outro lado, para além dos cofres e do poder incomensurável do poder financeiro parece que há luz. Uma luz cativante, retirada do céu da Praça do Comércio virada para o rio, para o horizonte e para a outra margem.
Talvez haja esperança!

Sem comentários:

Enviar um comentário